Refugio_das_Curucacas_logo_v2_curucacas_texto_bco.png

 

CAMINHADA PRÉ LUA CHEIA (16 jun 2019)

 

   Fizemos em 16 de junho, domingo, a caminhada da "pré" Lua Cheia,  em parceria com a Santosha Yoga. A lua, segundo alguns sites especializados, estava com 99% de iluminação.

 

   Iniciamos a atividade com o briefing, que contemplou uma apresentação da trilha, geodiversidade e biodiversidade da região, e informações técnicas sobre a atividade do dia.

   Partimos em caminhada pela borda do corredor ecológico do Rio Quebra Pedra, (rio que forma a Cachoeira do Buraco do Padre). Pudemos conversar um pouco sobre a importância dos corredores ecológicos para a biodiversidade, desde a mata ciliar até a reprodução e alimentação das espécies de fauna.

   Passamos pela Furna do Anfiteatro, observamos uma feição relacionada ao fenômeno "piping" e entendemos nossa localização, na Depressão de Vila Velha. Do "discoporto", observamos a Fortaleza, que é um belo morro-testemunho existente dentro do Parque Estadual de Vila Velha.

   Chegamos na Furna Grande e fomos direto para o Mirante Sul. A Furna Grande possui cerca de 400m de diâmetro e 70m de profundidade, e, como a maioria das furnas, possui relevante importância ecológica, por armazenar água em maior profundidade, facilitando sua chegada em lençois freáticos. Belo atrativo natural para contemplação da paisagem, observação de aves e espécies vegetais.

   Chegamos no Mirante Sul exatamente na hora do surgir da Lua Cheia, majestosa. Como era véspera da Cheia, a lua surgiu do horizonte às 17:15h, antes do pôr do sol.

   O pôr do sol ocorreu por volta das 17:40h, e a competição foi grande entre os dois espetáculos. Parecia que estávamos assistindo a uma partida de tênis, com o pescoço rotacionando em 180° por inúmeras vezes.

   Após o pôr do sol, contemplamos o local, sua geodiversidade, biodiversidade e a magnífica Lua. Observamos algumas espécies de plantas de campos rupestres. Ficamos atentos às aves noturnas. Nesse dia, elas estavam mais "tímidas"; ouvimos um Uru (Odontophorus Capueira) mais ao longe e uma Coruja Buraqueira (Athene Cunicularia).

   E não eram só as aves que estavam em silêncio. Nosso grupo, de maneira geral, também estava contemplando o silêncio. Os espetáculos da nascer da lua e pôr do sol mexem com a nossa mente. Havia até pessoas preferindo cochichar a falar alto. Incrível!

   Retornamos pela Trilha Furna Grande x Refúgio das Curucacas, sem a necessidade de lanternas, mantendo um silêncio espontâneo, que não foi combinado. Foi muito bom fazer essa caminhada, com um Grupo atento aos detalhes da natureza, e com a intenção de sentir e deixar a natureza agir.

 

   Ao chegar no Refúgio das Curucacas, fizemos uma gostosa sapecada de pinhão, na roda de prosa em torno da fogueira.

 

   Agradecemos do fundo do coração a cada participante do Grupo (Luciano, Caroline, Mirna, Erin, Lorena, Michael e Profe Iara (Santosha Yoga). Até a próxima!!